53º GRAMMY Awards #1

15 de fev de 2011

|

Olá, pessoas!!!! Aqui estou depois de meses sem uma atualizaçãozinha e sem explicações para tal feito. Também não tô a fim de encher linguiça falando o por quê de não postar mais durante este tempo. Por isso, serei bem breve: Sem paciência, vontade ou criatividade. AH! E um fator importantíssimo: FÉRIAS! que eu não tive

Domingo (13/02/2011) aconteceu uma das milhares de montes de premiações que existem, o 53º GRAMMY Awards. Muita gente feia e mal vestida bonita, música boa (inclusive as que eu e boa parte das pessoas perdemos de assistir porque, né, o site do Grammy e o YouTube resolveram brincar com as pessoas que queriam assistir ao evento online – pobres sem TV a cabo/por assinatura) e uma quantidade exorbitante de celebridades surgindo com trajes desde o cute cute *o* até o WHATAFUUUUUUUU////

Como a minha inspiração estava um lixo e eu adormeci antes do evento pensar em acabar, pedi à Msés que me ajudasse com um resumo rápido sobre o que se passou nessa linda noite de começo de semana.

Eis que surge ele, Msés, num estilo “Por favor, não toque no cachorro”.

Então gente, vou falar um pouco das apresentações desse Grammy bombadão, no qual apenas artistas decentes e merecedores receberam premiação! Me senti realizado por ver apenas trabalhos interessantes recebendo prêmios, e claro, uma PEQUENA parcela dessa felicidade se deveu ao fato de Justin Bieber ter ficado com cara de taxo no fim da noite. Isso foi apenas um detalhe que eu não precisaria nem comentar aqui, até porque não teve importância em me deixar rindo o resto da madrugada, mas enfim, vamos ao que interessa!

Lady GaGa - Precisa comentar? Artista de talento aguçado para o bizarro/interessante, entrou no evento abrindo alas, literalmente: ir ao show no seu ninho chegou a ser, de longe, a entrada mais tronxa que eu poderia imaginar! Seus dançarinos/companheiros de espécie a carregaram até o palco, de onde ela finalmente eclodiu da sua nave da xuxa do seu ovo, num traje amarelo gema-de-ovo-like e chifrinhos, numa aparência levemente draconiana. Enfim, cantou seu novo hit,"Born this way", que alguns comentam um leve "madonna feelings" ao ouvir. Dança bizarra e indiscritível, figurino bizarro (além dos xifrinhos faciais, todos os da espécie tinham protuberâncias nos ombros). Enfim, bem GaGa mesmo.
Lady Antebellum - Os grandes campeões da noite! Com cinco Grammys, não poderia ser diferente: a noite ficou leve nas vozes do trio e a platéia embarcou na melodia. Sou muito suspeito pra falar do grupo, então vou deter os meus comentários ao simples: Thumbs up!

- Taly se intromete: Sem contar que você ainda imaginava que fossem um bando de velhos _ _”

- Msés manda Taly ir catar “fintxe reãis” na esquina.


Cee-lo Green/Gwyneth Paltrow - Mermãaaaaaao, uma das melhores da noite pela crítica! Com uma música censurada e diferente, "Forget you" deu nome à apresentação da noite, que, na opinião desse pseudo-crítico, foi a melhor! Não bastasse Cee-lo, num figurino emplumado-excêntrico e Gwyneth Paltrow numa interação perfeita, ainda pudemos relembrar os MUPPETS! Sim, não eram eles, mas dúvido que alguém não tenha pensado nos mesmos quando viu aquelas marionetes cantoras. Ficou muito legal, agradou a todos os estilos! Thumbs, Heads, Feet, Body, Hands, World up!!!
Norah Jones/Keith Urban/John Mayer - Homenagearam Dolly Parton com "Jolene". A mistura das vozes encantou quem assistia, enquanto pareciam cantar entre amigos, num barzinho, de tão à vontade. Thumbs up!

Katy Perry - Deslumbrante. Boa cantora, voz intensa, bonita, estava numa noite brilhante. Cantou "Teenage Dream", entre outras em mash-up, e levantou a galera no evento. No seu balanço-estelar, cantarolou enquanto os expectadores hipnotizados pelo canto da sereia apenas observavam a performance flutuante. Entre os efeitos, a cauda do seu vestido servia de plano de fundo para o vôo, enquanto exibia imagens do seu casamento. Acredito que tenha sido a apresentação mais elaborada da noite, apesar de simples. Thumbs up.
Eminem/Rihanna/Dr.Dre - Foi uma apresentação bastante estilosa. Rihanna iniciou "Love the way you lie pt. 2" quando surgiu das trevas, ele, Eminem. Apesar da Taly dizer que ele evoluiu bastante fisicamente musicalmente falando, continuo achando que ele tem a mesma voz, canta no mesmo ritmo, e não me agrada muito, da mesma forma que há 6-8 anos, quando ouvi falar nele. A apresentação, concordo, foi interessante. Tirando os "breus" que por vezes demoravam muito e só focavam no artista, ficou atrativa porque parecia envolver o público e dispor de todo o palco do evento, pois nunca ví alguém andar tanto, sem ser em círculos, enquanto se apresentava. Rihanna continuava cantando, e, de repente, seu cabelo tocou fogo. Ok, é mentira, mas ela continua com seu cabelo vermelhão, cotonete hemorrágico. Por que ela insiste em ficar "feia"? Mas, há quem goste... No geral, thumbs up!
Mick Jagger - Apresentação energética, envolveu todos da platéia. Com "Everybody needs somebody to love", a galera pulava doidamente, assim como o astro do rock. Nunca ví alguém com tamanha presença de palco, e acho que com tanta energia também... Apesar da idade, acho que nem Ivete pularia tanto quanto ele no palco, e pior é que ele o faz com estilo, sem parecer um louco pisando em brasa ou macaco alegre. O axé poderia ganhar esse ensinamento como contribuição do rock, concordam? Mas, não posso negar que esta foi a apresentação que mais me trouxe alegria: já sabíamos que o Bieber tinha perdido as chances de ganhar um Grammy, e, na brincadeira, dissemos que o Jagger estava torcendo por ele. 10 minutos depois, surge Sr. Jagger, pulando efusivamente e alegrando a massa. Ok, tivemos a certeza kkkkkkkkkkkkk!

Bieber/Usher - Não ví a apresentação, ainda não estava acompanhando o Grammy neste horário porque estava assistindo um certo reality show que infelizmente me escraviza, por começar sempre no auge do meu tédio nas férias... Acabo cedendo ao meu impulso curioso de quem procura algo pra fazer/comentar, e, assim, meio-viciando no reality. Ah, mas é sempre válido lembrar que mesmo que eu já estivesse assistindo o Grammy, iria ignorar este momento. Bieber? Tsk. Thumbs down.
Rihanna/Drake - Essa, gostaria de ter visto... Também não assisti, por isso não posso dar uma opinião.

Arcade Fire - Gostei sim! Um estilo diferente do que esteve em voga na noite, e bastante diferenciado. Melodia interessante, vozes muito boas! Não foi à toa que ganharam o Grammy de melhor álbum do ano. Nunca os tinha ouvido, talvez essa tenha sido a premiação mais "zebra", na visão de muitos, mas a apresentação do grupo foi significativa, alternativa e foi o "ending" do evento. Thumbs up!

O Grammy 2011 encheu os olhos (e ouvidos) de quem pôde dispor de algum tempo para assistí-lo. 2012? Tamo aê!

Entra Taly sambando “mais sem graça que a top model magrela da passarela”.

Errrrr… Acho que foi dito TUDO, né? Preciso comentar algo?

 

Espero que tenham uma ótima semana! :D

0 comentários:

Postar um comentário

Momento Retrô

Visitas

Tecnologia do Blogger.